Web Rádio Peregrina
Obra Missionária de Evangelização e Acolhida Social Virgem do Carmo Peregrina

07/07/2017

Navarro-Valls, o inesquecível porta-voz de João Paulo II Navarro-Valls, o inesquecível porta-voz de João Paulo II

Joaquín Navarro-Valls nasceu em Cartagena, na Espanha, e se formou em Medicina nas Universidades de Granada e de Barcelona, período em que se aproximou do Opus Dei. Da medicina à comunicação Ao concluir os estudos em Medicina, especializou-se em Psiquiatria. Nesta fase, começou a estudar Jornalismo, formando-se em 1968. Foi secretário da Delegação do Opus Dei em Barcelona e colaborou para a criação de inúmeras iniciativas apostólicas. No início da década de 1970, se transferiu a Roma e trabalhou com São Josemaría Escrivá no âmbito da comunicação da Obra, quando lhe coube anunciar a morte do fundador (26 de junho de 1975) e a eleição do sucessor, Álvaro del Portillo. Em Roma trabalhou também como correspondente do jornal ABC, cobrindo os eventos nos países do Mediterrâneo, viajando com frequência para o Oriente Médio. Em 1983 foi eleito presidente da Imprensa Exterior, a associação dos correspondentes estrangeiros em Roma. Da comunicação ao Vaticano Em 1984 foi convocado para um almoço com João Paulo II, que o nomeou diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, inovando ao chamar para o cargo um leigo. Desde então, a sua figura foi associada à do Papa polonês até a sua morte em 2005. Desempenhou o mesmo cargo com Bento XVI, nos primeiros 15 meses do seu pontificado. A relação com São João Paulo II foi muito próxima, seja no plano profissional, seja no pessoal: o Papa lhe confiou missões delicadas com Gorbachov e Fidel Castro, e com ele, transcorria os períodos de repouso nas montanhas. Jornalista, mas não só Navarro-Valls, de fato, teve também um papel diplomático importante para a Santa Sé, participando como delegado vaticano em várias conferências das Nações Unidas e desempenhando um papel fundamental na preparação das viagens apostólicas. Tinha por João Paulo II uma sincera veneração e dizia que prestaria contas a Deus pela sorte que teve de trabalhar com um santo. A sua comoção nas horas precedentes à morte do Papa, (ocorrida no dia 2 de abril de 2005), ficou imortalizada pelas imagens televisivas. A graça sob pressão Joaquín Navarro-Valls foi sucedido pelo jesuíta Federico Lombardi. Ao comentar a morte do seu predecessor, Pe. Lombardi o lembra como uma das figuras importantes do “extraordinário pontificado” de João Paulo II, não somente por sua evidente visibilidade pública, mas também por sua ação concreta e seu papel de conselheiro. “Certamente João Paulo II tinha grande confiança nele.” Já o atual diretor da Sala de Imprensa, o estadunidense Greg Burk, também ele Opus Dei, comentou a morte de Navarro-Valls com um tuíte: “Grace under pressure”. “A graça sob pressão”. (from Vatican Radio) Joaquín Navarro-Valls nasceu em Cartagena, na Espanha, e se formou em Medicina nas Universidades de Granada e de Barcelona, período em que se aproximou do Opus Dei. Da medicina à comunicação Ao concluir os estudos em Medicina, especializou-se em Psiquiatria. Nesta fase, começou a estudar Jornalismo, formando-se em 1968. Foi secretário da Delegação do Opus Dei em Barcelona e colaborou para a criação de inúmeras iniciativas apostólicas. No início da década de 1970, se transferiu a Roma e trabalhou com São Josemaría Escrivá no âmbito da comunicação da Obra, quando lhe coube anunciar a morte do fundador (26 de junho de 1975) e a eleição do sucessor, Álvaro del Portillo. Em Roma trabalhou também como correspondente do jornal ABC, cobrindo os eventos nos países do Mediterrâneo, viajando com frequência para o Oriente Médio. Em 1983 foi eleito presidente da Imprensa Exterior, a associação dos correspondentes estrangeiros em Roma. Da comunicação ao Vaticano Em 1984 foi convocado para um almoço com João Paulo II, que o nomeou diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, inovando ao chamar para o cargo um leigo. Desde então, a sua figura foi associada à do Papa polonês até a sua morte em 2005. Desempenhou o mesmo cargo com Bento XVI, nos primeiros 15 meses do seu pontificado. A relação com São João Paulo II foi muito próxima, seja no plano profissional, seja no pessoal: o Papa lhe confiou missões delicadas com Gorbachov e Fidel Castro, e com ele, transcorria os períodos de repouso nas montanhas. Jornalista, mas não só Navarro-Valls, de fato, teve também um papel diplomático importante para a Santa Sé, participando como delegado vaticano em várias conferências das Nações Unidas e desempenhando um papel fundamental na preparação das viagens apostólicas. Tinha por João Paulo II uma sincera veneração e dizia que prestaria contas a Deus pela sorte que teve de trabalhar com um santo. A sua comoção nas horas precedentes à morte do Papa, (ocorrida no dia 2 de abril de 2005), ficou imortalizada pelas imagens televisivas. A graça sob pressão Joaquín Navarro-Valls foi sucedido pelo jesuíta Federico Lombardi. Ao comentar a morte do seu predecessor, Pe. Lombardi o lembra como uma das figuras importantes do “extraordinário pontificado” de João Paulo II, não somente por sua evidente visibilidade pública, mas também por sua ação concreta e seu papel de conselheiro. “Certamente João Paulo II tinha grande confiança nele.” Já o atual diretor da Sala de Imprensa, o estadunidense Greg Burk, também ele Opus Dei, comentou a morte de Navarro-Valls com um tuíte: “Grace under pressure”. “A graça sob pressão”. (from Vatican Radio)
Imprimir

24/11/2017
Bispos da Argentina rezam pelos 44 tripulantes desaparecidos em um submarino
Os Bispos da Argentina expressaram sua oração e proximidade aos familiares dos 44 tripulantes desaparecidos em um submarino no Atlântico Sul. Através de um comunicado, a Comissão Executiva da Conferência Episcopal Argentina convidou os fiéis a “acompanhar a angústia que estão vivendo devido à situação do Submarino ARA e especialmente o momento pelo qual as famílias estão passando”.

23/11/2017
Papa Francisco cria nova Diocese no Brasil e nomeia seu primeiro bispo
O Papa Francisco erigiu uma nova Diocese no Brasil, a de Cruz das Almas (BA), desmembrada da Arquidiocese de Salvador, e nomeou como seu primeiro Bispo Dom Antônio Tourinho Neto, até então Bispo auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife (PE). A nova Diocese desmembrada da Arquidiocese de Salvador será composta pelos municípios de Cabaceiras do Paraguaçu, Cachoeira, Cruz das Almas, Governador Mangabeira, Maragogipe, Muritiba, Santo Amaro, São Félix, Sapeaçu e Saubara.

22/11/2017
Brasil passa a ter a menor Basílica do mundo
No alto da Serra da Piedade, em Caeté (MG), uma pequena ermida recebe há 250 anos milhares de peregrinos, levando à necessidade da construção de outra igreja maior na década de 1970; agora, esses dois templos foram elevados a Basílicas pelo Papa Francisco, sendo que um deles se tornou a menor Basílica do mundo.

21/11/2017
Ano Jubilar do centenário de Fátima será encerrado na Solenidade de Cristo Rei
No próximo dia 26 de novembro, Solenidade de Cristo Rei, o Santuário de Fátima irá promover o encerramento do Ano Jubilar do Centenário das Aparições, conforme decretado pela Penitenciaria Apostólica. Para o encerramento deste Ano Jubilar, o Bispo de Leiria-Fátima, Dom António Marto, será o delegado Pontifício, por indicação do Papa Francisco.

20/11/2017
Em mensagem de vídeo, Papa explica por que viaja a Mianmar
De 26 a 30 de novembro, o Papa Francisco realizará em uma nova viagem apostólica. Voltará na Ásia para visitar Mianmar, e depois irá a Bangladesh. Francisco enviou uma mensagem de vídeo na qual explica aos habitantes do país o motivo da sua visita: “Eu não vejo a hora de poder encontrá-los. Venho proclamar o Evangelho de Jesus Cristo, uma mensagem de reconciliação, perdão e paz”, afirma.


 

© Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina. Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Vetorial Soluções Corporativas
Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina