Web Rádio Peregrina
Obra Missionária de Evangelização e Acolhida Social Virgem do Carmo Peregrina

Quer receber nosso informativo? Cadastre-se!

Cadastre-se e receba textos, notícias e muito mais em seu e-mail.




31/05/2017

Bispo defende sacerdotes ameaçados na Venezuela

Também ocorreu o caso do Pe. Domingo Pernía, “acusado de organizar saques no povoado de Santa Ana” e criticado pelo governador de Táchira, José Gregório Vielma Mora, pois foi um dos sacerdotes que presidiu o funeral do jovem Daniel Rodríguez, assassinado durante os protestos contra o governo de Nicolás Maduro. “Acusar dois sacerdotes de serem autores intelectuais ou organizadores de saques é ignorância e a ignorância é atrevida e arrogante. Acusar sem provas é uma calúnia e a calúnia, além de ser um pecado, é um crime. Põe em perigo a integridade desses sacerdotes”, denunciou Dom Moronta em declarações ao ‘Diário Católico’. O Prelado assinalou que, como Igreja, “fomos mostrar a nossa solidariedade com aqueles que sofreram saques nas zonas populares como Barrancas”. “Nós fizemos o que deveríamos fazer”, expressou na entrevista publicada em 26 de maio. Por isso, reiterou que as pessoas que acusam os sacerdotes devem apresentar as suas provas. “Preocupam-me os anúncios que dizem: ‘Eu tenho provas’, mas não as mostram. Tenham coragem para dizer e apresentar as provas, e não suposições”, expressou. O Bispo de San Cristóbal assegurou que os sacerdotes não têm medo. “Conversei com os ameaçados, inclusive com o sacerdote que aparece em um folheto e não sabe quem o declara alvo paramilitar, ou seja, podem matá-lo. Disse e respondeu-me: ‘Bispo, eu permaneço aqui, tenho a minha consciência tranquila, o meu trabalho é com as pessoas’. Eu lhes pedi para que abram os olhos, escutem com atenção e que mantenhamos uma boa comunicação”, indicou. Perguntado se as ameaças são devido à posição da Igreja nos últimos dias, o Prelado assinalou que, “quando uma pessoa se torna defensora da verdade que nos torna livres, tem gente que não gosta e pode fazer ameaças". “Quando as ameaças se tornam públicas sabemos quem faz estas ameaças, mas quando são ocultas sabemos que são obras do maligno que está sempre na escuridão. Acho que existem pessoas que querem nos manipular (...) e a igreja não vai se prestar para isso”, afirmou. Dom Moronta rechaçou a violência e afirmou que é “contra as trincheiras e os saques”. Nesse sentido, exortou os venezuelanos a não se deixar levar “pelas paixões, nem por aquilo que nos divida e cause inquietação”. “Cristo derrubou todos os muros de divisão para criar uma nova humanidade, um verdadeiro homem novo, não o que querem nos apresentar disfarçado de coisas agradáveis ?, que no fundo é outra coisa”, assinalou. Além disso, defendeu a sua participação e a de outros sacerdotes no funeral de Daniel Rodríguez, cujo corpo foi carregado pelo Prelado. “O ato no qual participei, e que sempre participo, não foi um ato político, mas eminentemente religioso, litúrgico e humanitário, de caridade”, afirmou. Dom Moronta recordou que “um sacerdote tem a obrigação moral de enterrar o bom e o mau. Ao bom, pedindo a Deus que recompense os seus atos e ao mau pedindo para que perdoe os seus pecados”; e que não é a primeira vez que carrega um caixão. “Sempre acontece isso quando morre um familiar de um sacerdote e em outras oportunidades” por um pouco “de sensibilidade e porque às vezes não temos nada mais para dar, mas um gesto, um abraço”, indicou. Em seguida, o Prelado reiterou o rechaço dos bispos à Assembleia Constituinte convocada por Nicolás Maduro, porque “nunca será para acabar com a fome e a desesperança das pessoas, mas sim para aprofundar nas diferenças”. “Nós temos que procurar, como igreja, que as pessoas drenem e convertam as forças negativas em positivas, em energias para a construção da paz. Não é fácil, pois como você consola uma mãe quando seu filho foi assassinado? Como consola alguém que trabalhou a vida inteira e destruíram o seu armazém, o seu comércio ou fazenda? A igreja deve permanecer criando espaços para a paz”. “Um parente meu foi assassinado em Barinas em meio a esses protestos (...). O sobrinho do Bispo de San Carlos também foi baleado em Barinas... Esta loucura deve acabar, seja de onde venham essas balas”, expressou.
Imprimir

16/02/2018
Papa Francisco encontra o clero da sua diocese
Há várias idades no sacerdócio, cada uma com características peculiares que comportam dificuldades, mas possuem também recursos. Foi o que disse o Papa Francisco ao clero de Roma reunido esta quinta-feira (15/02) na Basílica de São João de Latrão – sede da Diocese de Roma – para o tradicional encontro de início da Quaresma.

14/02/2018
Cardeal Tempesta comenta o tema da CF 2018 dedicada à violência
Atendendo ao apelo dos Bispos do Regional Leste 1 – CNBB, as dioceses do Estado do Rio de Janeiro realizarão no próximo dia 17 de fevereiro a Abertura da Campanha da Fraternidade (CF) 2018. O Rio de Janeiro vem sofrendo com os diversos casos de violência, os números de assassinatos e assaltos são crescentes. A violência atinge até mesmo os agentes de segurança que levam a população a um clima de medo e tensão.

13/02/2018
Papa: paciência não é resignação, é dialogar com os próprios limites
Na primeira Missa da semana na Casa Santa Marta o Papa Francisco disse que a paciência é a virtude de quem está em caminho. “A fé, colocada à prova, produz paciência.” O Papa Francisco inspirou sua reflexão na Primeira Leitura do dia, de São Tiago Apóstolo.

08/02/2018
Solidariedade do Papa a atingidos por terremoto em Taiwan
O abalo sísmico foi sentido também na capital Taipé. Com magnitude de 6,4 graus na escala Richter, o epicentro foi localizado no Oceano Pacífico, a 21Km ao nordeste de Hua-Lien.

07/02/2018
Festival na Lateranense em preparação ao Sínodo dos Jovens
“Qual Igreja dos jovens?” é o tema do Festival Internacional da Criatividade, a ser realizado na Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma, nos dias 9 e 10 de março. Esta segunda edição tem o patrocínio do Sínodo dos Bispos. A iniciativa inspira-se precisamente no Sínodo dos Jovens convocado pelo Papa Francisco para outubro próximo e nasce da colaboração entre o ateneu pontifício, a Villanova University da Pensilvânia e Creativ, realidade de formação especializada em gestão pastoral.


 

© Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina. Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Vetorial Soluções Corporativas
Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina