Web Rádio Peregrina
Obra Missionária de Evangelização e Acolhida Social Virgem do Carmo Peregrina

Quer receber nosso informativo? Cadastre-se!

Cadastre-se e receba textos, notícias e muito mais em seu e-mail.




16/06/2017

Papa: corrupção, câncer que mata o homem e a sociedade

Segundo o Pontífice, “a corrupção quebra tudo isso, substituindo o bem comum com o interesse pessoal que contamina toda perspectiva geral. Nasce de um coração corrupto. É a pior praga social, pois cria problemas graves e crimes que envolvem todas as pessoas”. “A palavra corrupção recorda o coração fragmentado e manchado por algo, como um corpo arruinado que entra num processo de decomposição e exala mau cheiro”, sublinha Francisco. A seguir, o Papa faz uma série de perguntas: “O que há na origem da exploração do ser humano contra outro ser humano? O que há na origem da degradação e da falta de desenvolvimento? O que há na origem do tráfico de pessoas, de armas e drogas? O que há na origem da injustiça social e da mortificação do merecimento? O que há na origem da ausência de serviços para as pessoas? O que há na raiz da escravidão, do desemprego, da negligência das cidades, do bem comum e da natureza? O que destrói o direito fundamental do ser humano e a integridade do ambiente? A corrupção é a arma, a linguagem mais comum das máfias e das organizações criminosas do mundo.” Cultura de morte Segundo Francisco, “a corrupção é um processo de morte que dá linfa à cultura de morte das máfias e organizações criminosas. Existe uma profunda questão cultural que deve ser enfrentada. Hoje, muitas pessoas não conseguem imaginar o futuro. Para um jovem, hoje, é difícil crer realmente em seu futuro, em qualquer futuro, e o mesmo para sua família. Essa nossa mudança de época, tempo de crise muito vasto, mostra a crise mais profunda que envolve a nossa cultura. Nesse contexto, a corrupção deve ser enquadrada e entendida em seus vários aspectos. Todos estamos expostos à tentação da corrupção”. “A corrupção tem na origem o cansaço da transcendência, como a indiferença. Por isso, o corrupto não pede perdão. A Igreja deve ouvir, elevar-se e inclinar-se sobre a dor e sofrimento das pessoas segundo a misericórdia e deve fazer isso sem ter medo de purificar-se, buscando sempre o caminho para se melhorar”, ressalta o Papa, citando o teólogo francês Henri de Lubac: “O maior perigo para a Igreja é a mundanidade espiritual, portanto, a corrupção, que é mais desastrosa que a lepra infame.” “A nossa corrupção é a mundanidade espiritual, a tepidez, a hipocrisia, o triunfalismo, o fazer prevalecer somente o espírito do mundo em nossas vidas e o sentido de indiferença”, destaca Francisco. Beleza Segundo o Pontífice, o antídoto contra a corrupção é a "beleza", que “não é um acessório cosmético, mas algo que coloca no centro a pessoa humana para que ela possa levantar a cabeça contra todas as injustiças. Essa beleza deve casar-se com a justiça”. “Nós, cristãos e não cristãos, somos flocos de neve, mas se nos unirmos, podemos nos tornar uma avalanche: um movimento forte e construtivo”, ressalta Francisco. “Eis o novo humanismo, este renascimento, esta recriação contra a corrupção que podemos realizar com audácia profética.” “Devemos trabalhar todos juntos, cristãos e não cristãos, pessoas de todos os credos e ateus para combater esta forma de blasfêmia, este câncer que mata as nossas vidas. É preciso tomar consciência urgentemente. Para isso, são necessárias educação e cultura da misericórdia. É necessária também a colaboração de todos, segundo as próprias possibilidades, talentos e criatividade”, conclui o Papa. (MJ) (from Vatican Radio)
Imprimir

16/02/2018
Papa Francisco encontra o clero da sua diocese
Há várias idades no sacerdócio, cada uma com características peculiares que comportam dificuldades, mas possuem também recursos. Foi o que disse o Papa Francisco ao clero de Roma reunido esta quinta-feira (15/02) na Basílica de São João de Latrão – sede da Diocese de Roma – para o tradicional encontro de início da Quaresma.

14/02/2018
Cardeal Tempesta comenta o tema da CF 2018 dedicada à violência
Atendendo ao apelo dos Bispos do Regional Leste 1 – CNBB, as dioceses do Estado do Rio de Janeiro realizarão no próximo dia 17 de fevereiro a Abertura da Campanha da Fraternidade (CF) 2018. O Rio de Janeiro vem sofrendo com os diversos casos de violência, os números de assassinatos e assaltos são crescentes. A violência atinge até mesmo os agentes de segurança que levam a população a um clima de medo e tensão.

13/02/2018
Papa: paciência não é resignação, é dialogar com os próprios limites
Na primeira Missa da semana na Casa Santa Marta o Papa Francisco disse que a paciência é a virtude de quem está em caminho. “A fé, colocada à prova, produz paciência.” O Papa Francisco inspirou sua reflexão na Primeira Leitura do dia, de São Tiago Apóstolo.

08/02/2018
Solidariedade do Papa a atingidos por terremoto em Taiwan
O abalo sísmico foi sentido também na capital Taipé. Com magnitude de 6,4 graus na escala Richter, o epicentro foi localizado no Oceano Pacífico, a 21Km ao nordeste de Hua-Lien.

07/02/2018
Festival na Lateranense em preparação ao Sínodo dos Jovens
“Qual Igreja dos jovens?” é o tema do Festival Internacional da Criatividade, a ser realizado na Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma, nos dias 9 e 10 de março. Esta segunda edição tem o patrocínio do Sínodo dos Bispos. A iniciativa inspira-se precisamente no Sínodo dos Jovens convocado pelo Papa Francisco para outubro próximo e nasce da colaboração entre o ateneu pontifício, a Villanova University da Pensilvânia e Creativ, realidade de formação especializada em gestão pastoral.


 

© Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina. Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Vetorial Soluções Corporativas
Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina