Web Rádio Peregrina
Obra Missionária de Evangelização e Acolhida Social Virgem do Carmo Peregrina

Quer receber nosso informativo? Cadastre-se!

Cadastre-se e receba textos, notícias e muito mais em seu e-mail.




02/09/2017

Milhares de cristãos voltam à Planície de Nínive e dão esperança à Igreja no Iraque

Em declarações ao Grupo ACI, Pe. Banni comentou que demorou mais de uma semana para terminar este relatório e que conseguiu a informação depois de falar com os sacerdotes das aldeias de Qaraqosh, Bartella, Karamlesh, Telkef, Tesqopa, Badnaya, Bakofa, Bashiqa e Bahzani. Em seu relatório, o sacerdote iraquiano assinalou que antes da chegada do ISIS em meados de 2014, viviam 50 mil pessoas em Qaraqosh. Depois que os cristãos abandonaram o local, havia apenas 25 mil habitantes. Após a libertação da cidade, mil famílias voltaram a Qaraqosh. Na aldeia de Bartella viviam 10 mil pessoas e, depois da chegada dos terroristas, dos peshmerga, das forças curdas, evacuaram toda a população. Após a sua libertação, 50 famílias voltaram ao local. Na aldeia do Pe. Banni, Karamlesh, moravam 840 famílias e, depois da invasão do Estado Islâmico, permaneceram apenas 550 famílias. Após a libertação, voltaram cerca de 70 famílias. O sacerdote comentou que servirá mais alguns meses na capital de Bagdá e também voltará. Outra localidade, Telkef tinha 35 mil habitantes, entre eles 3.500 eram cristãos. Após a chegada do ISIS, permaneceram 750 pessoas e ninguém voltou ainda. A mesma situação aconteceu na aldeia de Badnaya, onde viviam 910 famílias e permaneceram 450 depois da invasão terrorista. Pe. Banni assinalou que ainda não sabem com certeza quantos cristãos voltaram para a aldeia de Tesqopa. Antes do conflito, viviam 1.450 famílias e 825 permaneceram lá. Enquanto isso, antes do ataque do ISIS na pequena cidade de Bakofa viviam cerca de 70 famílias. Depois da expulsão dos terroristas, voltaram cerca de 30. Em Bashiqa viviam 750 famílias e, após a ocupação dos jihadistas, permaneceram 550. Até o momento, apenas 60 voltaram. Por último, na aldeia de Bahzani, moravam 350 famílias e, depois da invasão do Estado Islâmico, restaram 240. Atualmente, voltaram somente 40 famílias. Pe. Banni disse ao Grupo ACI que nas estradas que ligam os quase 80 quilômetros entre a cidade de Erbil, onde a maioria dos cristãos se refugiou, e a Planície de Nínive não há proteção do exército iraquiano. “Existem apenas cerca de 200 soldados: as Nineveh Plain Protection Units (NPU), que são cristãos que se ofereceram voluntariamente para proteger essas famílias”, expressou. Também comentou que atualmente há muitos projetos na região para reconstruir as casas destruídas e, assim, incentivarque mais pessoas voltem para os seus lares. Acrescentou que a eletricidade e o serviço de água foram reinstalados na região. Em junho de 2014, os jihadistas invadiram a região e obrigaram os cristãos a ir embora ameaçano-os de matá-los caso não se convertessem ao islamismo ou eram obrigados a pagar um imposto de submissão. Inclusive em cidades como Mosul, os cristãos foram traídos por seus vizinhos e amigos muçulmanos. De acordo com o ministério das relações religiosas na região autônoma do Curdistão, o ISIS destruiu cerca de 100 locais de culto na Planície de Nínive e em Mossul e a maioria eram templos cristãos. Por sua pate, a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) lançou uma campanha para reconstruir cerca de 13 mil casas de cristãos que foram destruídas pelos terroristas.
Imprimir

24/11/2017
Estados Unidos: Celebrarão Missa em memória das vítimas do Estado Islâmico
Na terça-feira, 28 de novembro, o Arcebispo Caldeu de Erbil, no Iraque, Dom Bashar Warda, celebrará uma Missa na Arquidiocese de Washington, Estados Unidos, em memória das vítimas do genocídio perpetrado pelo Estado islâmico (ISIS) contra os cristãos. Este evento, organizado pelos Cavaleiros de Colombo, será realizado durante a celebração da semana de conscientização pelos cristãos perseguidos, que acontecerá de 26 de novembro a 3 de dezembro, cujo lema é “Solidariedade no sofrimento”.

23/11/2017
Ex-gay italiano se converteu pela intercessão de Maria e hoje é pai de família
Luca di Tolve ganhou o ‘Mister Gay’ na Itália, nos anos 1990, mas a sua história ficou conhecida no mundo depois que o cantor Giuseppe Povia escreveu a música ‘Luca era gay’. Agora escreveu o livro ‘Eu era gay’, no qual explica porque e como mudou radicalmente de vida. Em entrevista concedida ao Grupo ACI, Luca di Tolve conta que teve uma infância muito difícil. “Meus pais sempre discutiam e depois de algum tempo se separaram. A minha mãe me criou sozinha e, quando chegava tarde do trabalho, eu ficava com uma família vizinha, onde todas eram meninas e criticavam o meu pai porque tinha nos abandonado”, explica.

22/11/2017
Sínodo dos Bispos sobre jovens já tem data e relator será um Cardeal brasileiro
O próximo Sínodo dos Bispos sobre “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional” será realizado entre os dias 3 e 28 de outubro de 2018, segundo anunciou a Santa Sé através de um comunicado de imprensa, no qual informou ainda que o relator geral será o brasileiro Cardeal Sérgio da Rocha. A Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos divulgou a data no final da reunião do seu XIV Conselho Ordinário, que aconteceu na Cidade do Vaticano nos dias 16 e 17 de novembro, presidida pelo Papa Francisco.

21/11/2017
A civilização humana começa no ventre da mãe, afirma Cardeal
O presidente da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB), Cardeal Daniel DiNardo, incentivou a “amar e proteger a vida humana inocente desde o momento que Deus a cria” e assegurou que “a civilização começa no ventre”. Em sua mensagem aos bispos dos Estados Unidos, em 13 de novembro, durante a Assembleia Geral da USCCB de 2018, o Cardeal DiNardo os encorajou a se unirem ao Papa Francisco para apoiar uma reforma migratória integral, promover políticas pró-vida que respeitem a dignidade humana e mantenham as famílias unidas.

20/11/2017
Papa Francisco: Na fragilidade dos pobres há uma força salvífica
“Amar o pobre significa lutar contra todas as pobrezas, espirituais e materiais”, afirmou o Papa Francisco durante a Missa por ocasião do 1º. Dia Mundial dos Pobres instituído pelo mesmo Pontífice. Na manhã de hoje, Francisco presidiu uma Eucaristia em que muitos pobres participaram e também disse que “Nos pobres manifesta-se a presença de Jesus, que, sendo rico, se fez pobre”. “Por isso neles, na sua fragilidade, há uma força salvífica. E, se aos olhos do mundo têm pouco valor, são eles que nos abrem o caminho para o Céu, são o nosso passaporte para o paraíso”.


 

© Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina. Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Vetorial Soluções Corporativas
Obra Missionária Virgem do Carmo Peregrina